Vamos organizar uma frente de produtores agroecológicos?

Aconteceu no dia 26 de Julho na Escola primária de Alcorochel, mas é uma atividade aberta e em andamento. Se tiver interesse no tema entre em contacto com a Quinta do Alecrim.

Print

Cultivar uma cultura de alimentação local e agroecológica na região de Torres Novas, Alcanena e Abrantes

Nossa região tem condições fantásticas para o cultivo de alimentos, contudo a maioria dos produtos que podemos adquirir vêm de fora. Ao mesmo tempo, muitas pessoas com capacidade e vontade de cultivar encontram-se no desemprego. E cada vez mais terrenos encontram-se em estado de abandono. O que podemos mudar nas nossas escolhas e cultura alimentar para deixar florescer os nossos recursos locais e reforçar a teia social e económica?

Dia 26 de Julho, Sábado, vamos apresentar o Cesto Cheio, uma iniciativa recente que tem como objectivo criar laços estáveis e de longa duração entre produtores locais e consumidores. Este projecto iniciou-se em 2012 na Roménia, onde está a transformar a qualidade de vida das pessoas envolvidas e recentemente foi lançado também em Coimbra. Convidámos dois dos iniciadores, o Ronen Hirsch (Roménia) e a Annelieke van der Sluijs (Coimbra), para falar sobre as suas experiências, resultando num debate sobre como desenvolver a teia alimentar local.

Abelhas da Quinta

abelheiroFui pego em acção pela Juli na semana passada! Estava ali super concentrado e preocupado em salvar este enxame que estava com muita Varroa. Confesso que não gosto nada desta luta, pois é uma faca de dois gumes: A única forma de controle nesta altura é a abertura frequente da colmeias, exclusão de cria de Zangão e (ácido fórmico) se não houver mel…por outro lado a abertura frequente altera o ambiente interior da colmeia e causa stress geral. Lí um livro outro dia em que autor defendia que abrir a colmeia seria como proceder à uma cirurgia no coração. Neste caso é uma cirurgia vascular à cada 15/20 dias. Tenho lido coisas sobre “natural beekeeping” e ando louco para ensaiar e ver se consigo reduzir este stress!

Enxames

A partir do mês de Março e com o aumento das florações as abelhas já começam a enxamear!  Onde há a proximidade do meio rural com as cidades, ou aldeias podem vir ter às nossas casas, ou outros locais quaisquer que possam gerar incidentes. Nestes casos nunca tente fazer qualquer coisa contra o enxame nem aproximar-se. Afaste-se e peça ajuda imediatamente. Quanto mais cedo melhor. Nós poderemos remover enxames nas proximidades da Quinta do Alecrim e Torres Novas. No entanto sempre procederemos a uma avaliação da situação, pois onde houver riscos de acidentes sempre é necessário accionar com os bombeiros. Swarm Fone: 913776136 enxame 2

Novo Apiário

Este ano adquirimos mais material, mais alguns enxames e mudamos o apiário de lugar. É um ano de aprendizado, pois agora temos colmeias Lusitanas, Reversíveis, Langstroth e ainda uma Warré que ainda está a espera de inquilinas. O novo apiario está protegido do vento frio de Norte e as colmeias estão posicionadas a sul. As abelhas têm a sua disposição diversas floradas e meladas de mato que variam desde o rosmaninho, o tojo, orégãos, amendoeiras, silvas, folhado, sanguinho das sebes e outros arbustos, flores silvestres, ameixoeiras, nespereiras e outras árvores frutíferas, até as meladas de carvalhos e azinheiras.

Apiario Alecrim 1

As colmeias Lusitanas que possuímos ainda estão no antigo apiário que dista apenas alguns metros deste e ainda não sabemos como iremos fazer a mudança de local. As colmeias Reversíveis já chegaram com enxames muito fortes e estão a trabalhar em força com muita entrada de pólen e néctar. Ainda não sabemos qual será a tipo de colmeia que melhor adapta-se às condições aqui  do nosso micro-clima, nem à qual nos adaptaremos de acordo com nossas ambições em desenvolver o manejo em “apicultura natural” aqui na Quinta.

Apiario AlecrimAs colmeias Langstroth não são colmeias de eleição aqui da Quinta do Alecrim, mas como vieram junto num pacote de material em segunda mão, decidimos dar uso ao conjunto. Estas são colmeias muito grandes e pesadas, quase não consigo levantá-las sozinho. Por outro lado o ninho é brutal, o que deverá permitir um desdobramento em breve. Apiario Alecrim 2

Colmeia Warré

Nossa colmeia Warré prontinha a ser povoada! Apta para praticar “natural beekeeping” onde o foco principal é o bem estar das abelhas = abelhas mais saudáveis, mais resistentes às doenças, menor necessidade de tratamentos e menor necessidade de intervenção no ninho. A nossa warré foi adquirida junto aos nosso amigos da Timberbee. Nós fizemos algumas adaptações: Fixamos uma tela na caixa de agasalho para evitar que as abelhas possam roer a serapilheira. Também desta forma, as abelhas poderão regular as aberturas na rede à suas necessidades. Utilizaremos um saco de serapilheira cheio de palha que servirá como “isolante” térmico da colmeia.

Warré Hi

Warré Hi

E Fez-se o mel!

No passado final de semana, após dias envolvidos com a mudança e as arrumações na Quinta eu não resisti. Acordei cedo e rumei ao apiário para buscar o pequeno almoço. Cada flor que eu vi, cheirei, ou onde vi as abelhas no trabalho eu saboreei lentamente. Cada gota desse néctar que escorreu do favo. Image